Entre o gesto e o sentido

artista(s): Elke Coelho
curadoria: Talitha Motter

Talitha Motter*

/ GESTO /

Elke Coelho parte de gestos, quase exaustivos, para o acúmulo de coisas: apropriar-se do ordinário, de materiais simples como um pedaço de algodão, cotonetes e palitos de fósforo; somar milhares de flores que foram desprendidas de suas hastes e depois armazená-las, com o devido cuidado, em pequenas caixas de acrílico – preciosas de seu conteúdo; coletar palavras, como se possuíssem peso e medida; desenhar memórias de sensações, infinitas vezes, como se fossem os dias.

/ SENTIDO /

Dentre os atos que se repetem, as surpresas. Hibridações suscitadas pelo encontro entre diferentes eixos de linguagem – escrita e visual – nos encaminham para compreensões além da flor que se faz vermelha ou da palavra que revela o estado de ferimento. Dessa maneira, os trabalhos de Elke concretizam uma relação única com os seus/nossos pequenos guardados, ainda que sejam eles os mais singelos e efêmeros. Forma-se um reduto onde ainda é possível estabelecer vínculos perenes com os elementos que nos orbitam. Anteriormente, o crítico de arte Mário Pedrosa** já nos havia chamado a atenção para a dificuldade que temos de estabelecer relações afetivas com nossos objetos, diante do exacerbado consumo e da produção em massa. É como se evitássemos depositar parte de nós nas coisas, pois elas foram feitas para logo se irem, sem grifarem nossas horas.

---

No entanto, sempre existe algo que resta, como aqui podemos notar. Cada parte que reside, ou resiste, é inventariada e guardada secretamente, formando uma coleção que pode enganar o olhar. A imaginação parece mais eficaz como chave de acesso. Uma vez no seu interior, transitamos simultaneamente entre palavras e objetos, entre semelhanças e singularidades, onde a repetição de formas e elementos acaba por enaltecer o que se difere. Diante do transcurso do tempo das coisas, o ensaio da permanência.

*Talitha Motter é mestre na linha de História e Crítica de Arte pelo PPGAV/UFRJ, coeditora da revista Arte ConTexto e curadora da plataforma Aura.

** Ver o texto “Crise do condicionamento artístico” (1966).

EXPOSIÇÃO

13/10/2016 a 13/12/2016

ABERTURA

13/10/2016 a partir das 19h

LOCAL

Perestroika (Av. Cel. Lucas de Oliveira, 894, POA/RS)

Thumb aura arte elke coelho

Elke Coelho

Thumb aura talithamotter

Talitha Motter

×