O melhor da Semana de Arte e Design de Miami

POSTADO: 13/12/2018

O melhor da Semana de Arte e Design de Miami

A convite de Regina Galvão, nossa diretora Bruna Bailune conta na matéria da Editora Olhares suas impressões sobre as feiras de arte de Miami desse ano.

Bruna Bailune está à frente da Galeria Aura, com foco em arte contemporânea e fomento a novos artistas. O espaço, na Vila Madalena, nasceu em 2017 como uma extensão da plataforma online.

“Essa foi minha primeira vez em Miami e rodei muito para pesquisar todas as feiras porque temos intenção de trazer a Aura para cá no ano que vem. O circuito é muito diverso e tem feira para todo tipo de gosto e orçamento. Pelo que me falaram, as vendas não foram maravilhosas como há três anos, o mercado ficou retraído, a não ser pela Basel, por onde circulam os milionários. Deu para perceber também que os artistas brasileiros da Aura têm mais possibilidades de despontarem nos Estados Unidos do que no Brasil. Eles trabalham com conceitos da metafísica, da física quântica, linguagens internacionais e não têm foco no histórico. Em 2019, vamos priorizar o mercado externo ao interno.”

 

Outros destaques

“Gostei muito da Untitled, com arte contemporânea e montada na beira da praia. Lá estavam galerias brasileiras como a Portas Vilaseca, do Rio de Janeiro, expondo Mano Penalva e Debora Engel, e a Zipper, de São Paulo. O estande da galeria Sapar me surpreendeu, com obras do japonês Shinji Turner-Yamamoto e Faig Ahmed, do Azerbeijão. A feira NADA, no norte de Miami, intenciona revelar jovens artistas com galerias da Europa e dos Estados Unidos. A Division, de Montreal, foi uma das que eu mais gostei, assim como a Nicelle Beauchene, de Nova York.”

“Visitei a Pulse Art Fair e achei a mais americanizada das feiras, você quase não vê latino e se detém em arte pop. É um fenômeno de público, mas cai muito no gosto norte-americano. A Scope, na beira da praia, também estava lotada, com gente jovem interessada em comprar um tipo de arte que não me atrai. Já a feira Pinta Miami é mais focada em arte latino-americana, com instalações bem montadas na área Projects Section. A seção Solo tinha obras da brasileira Yuli Yamagata.”

 

Clique aqui e leia a matéria na íntegra.

COMPARTILHE:
categorias: Mercado de Arte, Feira de Arte