"A Casa Empática", Pavilhão uruguaio na 58ª Bienal de Veneza

POSTADO: 16/05/2019

"A Casa Empática", Pavilhão uruguaio na 58ª Bienal de Veneza

O Pavilhão uruguaio da 58ª Bienal de Veneza é inteiramente composto por obras de Yamandú Canosa, artista representado pela Galeria Zielinsky, parceira da Galeria Aura em Barcelona.

 


La Biennale di Venezia teve abertura no dia 11 de maio e pode ser visitada até 24 de novembro de 2019. "A Casa Empática", de Yamandú Canosa, tem curadoria de Patrícia Bentacur e David Armengol e está entre os 10 melhores pavilhões deste ano, segundo Aurélien Le Genissel, para a revista Neo2 (na lista, encontra-se também o Pavilhão do Brasil, Swinguerra, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca com curadoria de Gabriel Pérez-Barreiro).

 

Aurélien descreve a proposta como "fina, pulsante e delicada" e o trabalho de Canosa como uma "sutil reflexão sobre a construção nacional" a partir do uso que ele faz do território e de seus referenciais geográficos.

 

As obras de Yamandú Canosa apresentadas pela Zielinsky no setor Masters da última SP-Arte estão à disposição em nosso acervo em São Paulo.

 

Leia a matéria na íntegra (em espanhol) no site da Neo2: https://www.neo2.com/los-10-mejores-pabellones-de-la-bienal-de-venecia-2019/

COMPARTILHE:
categorias: Curadoria, Exposição , Artista