Conversa com Mônica Zielinsky - Historiadora de Arte

POSTADO: 23/03/2015

Conversa com Mônica Zielinsky - Historiadora de Arte

O primeiro diálogo do BLOG do Aura traz a curadora, crítica de arte, pesquisadora e professora do Instituto de Artes da UFGRS, Mônica Zielinsky, para contar um pouco sobre como começou a se interessar pelo universo artístico e a colecionar arte.

Como iniciou seu interesse pelo universo da arte?

MZ: Meu interesse pelo universo da arte iniciou em casa e na infância, em especial com meu pai que adorava arte. Ele e minha mãe inscreveram-me com 5 anos em um  curso de pintura ministrado por Ivan Serpa no Colégio São Fernando no Rio de Janeiro, cidade em que nasci. Em um domingo, ao passear com eles em Copacabana, deparei-me com surpresa com uma pintura minha daquelas aulas e exposta em uma galeria, por sugestão de Ivan Serpa. Um fato da infância que me estimulou naquilo que tanto eu já apreciava. Mais tarde, viemos morar em Porto Alegre e com 17 anos fiz o vestibular para artes plásticas na UFRGS, um curso que me realizou profundamente. Nunca mais deixei este universo da arte, pois ele é para mim um dos sentidos primordiais da vida e em muitas de suas ramificações, tanto artísticas, como teóricas, curatoriais, de ensino e pesquisa, relativa à sua história e à sua crítica.

E a sua coleção de arte, como começou? Tem alguma obra que assumiu uma especial importância no conjunto?

MZ: Minha coleção iniciou ao receber, em meu aniversário, um presente de todos os meus colegas do Instituto de Artes da UFRGS, um quadro de autoria de meu professor de pintura, Ado Malagoli. Fiquei imensamente feliz com o presente, uma belíssima pintura. Daí em diante eu escrevi vários textos para artistas e eles me davam obras em troca. Assim fui organizando minha coleção, posteriormente comprando muitas delas. Ao casar com o Tenius, ele enriqueceu a coleção com todas as suas obras e associamos as duas coleções.

Entrevista por Talitha Motter

COMPARTILHE:
categorias: Coleção de Arte