CONVERSA COM A GALERISTA NIURA BORGES

POSTADO: 15/05/2015

CONVERSA COM A GALERISTA NIURA BORGES

A fundadora da Galeria Mamute, Niura Borges, conversou com o Aura sobre medidas possíveis para o desenvolvimento do mercado de arte no Rio Grande do Sul e de que maneira a sua galeria vem se colocando nesse sistema.

Como se deu a decisão de abrir uma galeria de arte?

NB: A decisão de abrir uma galeria de arte surgiu em função da observação de uma lacuna no Rio Grande do Sul de espaços comerciais de venda de obras de arte que proporcionassem investimento na carreira do artista visual possibilitando sua profissionalização. Ao mesmo tempo, a criação de uma galeria de arte dinâmica em sua atuação e comprometida com o conhecimento e a reflexão sobre a produção nas artes visuais.

Com este objetivo paralelo à proposta comercial, a galeria desenvolve o projeto Núcleo de Vídeo RS, um programa que visa incentivar a pesquisa e produção artística em Videoarte e novas mídias. Entre tantas ações, desenvolveu em 2013 a residência artística “Videoresidência Território Expandido”, um espaço de inter-relações entre artistas e regiões do Brasil, no intuito de estimular a troca de conhecimento entre as diferentes produções e favorecer processos de Coletivos de Videoarte.

Como funciona a escolha dos artistas que são representados pela Galeria Mamute?

NB: A seleção de artistas é realizada através de investigação de portfólio, reunião com o artista e assessoria de pesquisadores do campo da arte, parceiros da Galeria de Arte Mamute. Pontos importantes nesta seleção são: o comprometimento do artista com a sua produção, com a pesquisa e inovação dentro das linguagens das artes visuais.

Quais as medidas que considera importantes para o desenvolvimento do mercado de arte do Rio Grande do Sul?

NB: Acredito que o primeiro ponto e de maior importância seja o investimento na formação de um público conhecedor e usufruidor de arte contemporânea. Percebo uma carência com relação ao que se entende por arte contemporânea. É preciso conhecer e ter um repertório mínimo de compreensão sobre os termos e as mudanças que nos trouxeram ao presente momento artístico para então poder usufruir o que a arte contemporânea tem a nos oferecer.

Nesse sentido existe uma movimentação da Mamute voltada para ações que valorizem a pesquisa e a discussão sobre temas do campo da arte que se reflete em nossos projetos paralelos à atuação comercial.
A união do setor é outro aspecto que pode estabelecer com mais clareza o papel das Galerias de Arte Comerciais locais, percebo certa confusão entre os espaços de visitação e os espaços com visitação e comercialização. Tenho a sensação que para o público isso nem sempre é claro.

Como união do setor, investimos em iniciativas como a primeira edição do Gallery Night Porto Alegre, ocorrida em dezembro de 2014, uma proposta para integrar em ação conjunta e colaborativa as galerias de Arte Contemporânea de Porto Alegre, com permanência das portas abertas à exposição em cartaz, por um período de três noites, visando, em horário estendido, facilitar o acesso ao público à exposição e estimular o mercado de arte contemporânea local.

Artistas representados pela Galeria Mamute que participam do Aura:
Claudia HamerskiFernanda Valadares, Letícia Lampert

Entrevista por Talitha Motter

COMPARTILHE:
categorias: Mercado de Arte, Galeria de Arte