Adesivo2019 peb

Luca Parise

Paris/França, 1991. Vive e trabalha em São Paulo/SP.

Paris/França, 1991. Vive e trabalha em São Paulo/SP.​

Luca Parise, nascido em Paris e radicado em São Paulo, ao articular diferentes campos da produção simbólica (como a arte, a economia, a arquitetura, o design e a comunicação social), questiona as noções de funcionalidade e de produção no mundo material contemporâneo. Desse modo, ao aproximar corpos que ocupam diferentes lugares sociais, ao aglutinar diferentes objetos um com os outros, retirando deles sua identificação natural, Luca detona processos de curiosidade e provoca dúvidas quanto a sua função e eficiência. Assim, dá forma a assemblagens tridimensionais que nos levam a repensar o lugar da dimensão estética nos dias de hoje a partir de exercícios de ressignificação das materialidades que ocupam nosso entorno.



Work aura luca parise sauna museu
Work aura luca parise sauna museu2
Work aura luca parise sauna museu3
Work aura luca parise cadernos
Work aura luca parise mulher
Work aura luca parise levante
Work aura luca parise cozinha
Work aura luca parise cozinha3
Work aura luca parise cozinha2
Work aura luca parise escultura
Work c pia de lp226
Work c pia de lp144 2
Work c pia de lp142
Work lp233 5
Work lp233 1


Videoinstalação AnalogKS, 2015

Alpedesiusi. 2016 | Screen recording em full HD para ser projetado | 01:07 min

whysoanxious. 2015 | Screen recording em full HD para ser projetado | 04:17 min

nefelibata. 2015 | Screen recording em full HD para ser projetado | 01:56 min

bezodiazepine. 2015 | Screen recording em full HD para ser projetado | 02:30 min

barenecessity. 2015 | Screen recording em full HD para ser projetado| 02:30 min

asd . 2015 | Screen recording em full HD para ser projetado | trabalho exibido na 375 gallery, Se...

dot . 2015 | Screen recording em full HD para ser projetado | trabalho exibido na 375 gallery, S...

Formação

​2015 - presente - ​Atelier​ ​do​ ​Centro​ ​-​ Discípulo do artista plástico Rubens Espírito Santo.

2016 - Assistente pedagógico de Rubens Espírito Santo no curso “Introdução ao Heidegger”.

2016 - Assistente pedagógico de Rubens Espírito Santo no curso “Arte e Espiritualidade” no espaço Ypsilone.

2016 - 2015​ - Satyros​ ​-​ Oficina de teatro performativo, diegético e mimético.

2015 - ​História​ ​da​ ​Arte​ ​-​ ​Rodrigo Naves.

2014 - Universität​ ​der​ ​Kunst​ ​(UdK)​ ​como aluno ouvinte.

2014​ - Von​ ​Erlenbach​ ​Kunstschule.

2014 - 2013 - Art​ ​Business​ na Escola São Paulo coordenado por Benjamin Seroussi.

2014 - História​ ​das​ ​exibições​, ministrado por Lisette Lagnado.

2013 - História​ ​da​ ​Arte​, ministrado por Agnaldo Farias.

2012​ - 2013​ - Pós graduação em Mediação em família - instituto familiae.

2014 - 2009 - Ciências Atuariais na Faculdade de Economia e Administração - Universidade de São Paulo.

 

Exposições coletivas

2017​ - 42°​ ​SARP​ ​–​ ​Salão​ ​de​ ​Arte​ ​de​ ​Ribeirão​ ​Preto​ ​Nacional-Contemporâneo.

2017 - Exposição​ ​Insider​ ​(Luca​ ​Parise​ ​e​ ​Inna​ ​Cymlich)​ ​na​ ​galeria​ ​Fita​ ​Tape.

2016 - 48ª​ ​Salão​ ​de​ ​arte​ ​Contemporânea​ ​de​ ​Piracicaba 2015​ ​/​ ​Exposição​ ​coletiva​ ​no​ ​Atelier​ ​do​ ​Centro.

2015 - Exposição​ ​coletiva​ ​na​ ​Gallery​ ​175​ ​(Coréia​ ​do​ ​Sul)​ - video ‘Asd’ (2014).

 

Residências

2017 - Residência​ ​e​ ​curso​ ​pequenas​ ​esculturas​ ​RES​ ​no​ ​Taller​ ​del​ ​Clot,​ ​Barcelona-ESP (Setembro).

2017 - Residência​ ​RE-USO​ ​na​ ​Praça​ ​Victor​ ​Civita,​ ​São​ ​paulo​ ​(Fevereiro - Março).

2017​ - Residência​ ​no​ ​Taller​ ​del​ ​Clot,​ ​Barcelona-ESP​ (​ janeiro).

2016 - Residência​ ​Eiffel​ ​artística​ ​e​ ​intelectual​ ​orientada​ ​à​ ​leitura​ ​de​ ​Lacan​ ​(outubro).

 

Publicações

2017 - Desenhos​ ​Luca​ ​Parise​ ​cartas​ ​ao​ ​mestre​ ​-​ ​Editora Vernacular.

2017 - Biblioteca​ ​Luca​ ​Parise​ ​-​ ​residência RE-USO.

Considerações sobre plástica

Carol Costa e Silva

Agosto de 2017

 

Essa cozinha é uma verdadeira suruba! A geladeira de ladinho com o armário…

Luca Parise

Essa frase do Luca sobre sua própria cozinha - criada por ele mesmo - foi uma das coisas mais bonitas que já o ouvi falar. Foi um verdadeiro e feliz discurso indireto livre: por alguns instantes, ele passou não mais a pensar, mas como os personagens de Luca – elementos de uma cozinha móvel: fogão, geladeira e armário em cima de um pallet com rodízios tornam-se seus personagens - dado que estes são seres que só podem sair de sua própria vida - e que sua criação só existe por uma extrema necessidade de ter uma vida melhor. Através de uma metempsicose com seres absolutamente sem cabeça - mas com bastante vida - Luca conseguiu a façanha de pegar-lhes emprestado um pouco dessa vivacidade – aparentemente - tão estranha a ele. Nesta metáfora brilhante, a geladeira e o armário, através da expressão de ladinho, entram claramente numa relação sexual; uma relação sexual entre objetos que não são sexuais nem se prestam a este tipo de serviço – uma relação sexual, que difere, portanto, de tudo que Luca pensa ser sexual; ou seja, numa única ação, há uma reunião de elementos díspares à própria ação, criando uma belíssima imagem!

___

Se Luca disser que sua cozinha é uma escultura, tornar-se-á ela escultura?

Se eu disser que este texto é um texto, ele se tornará um texto?

Se eu disser que ele é um poema, configurar-se-á, então, sua forma, na de um poema?

Se eu disser que ele é um pedaço de parede, irão as palavras corrererem para se enfileirarem por entre os tijolos, de modo a dar-lhes mais aderência uns aos outros?

Se eu não disser nada, saberá o texto então que ele é um texto?

Se eu não disser nada, saberei eu coisa sequer sobre sua constituição?

Poderei eu ler o que ele me diz, diferente de todo o dizer com o qual eu posso ter esbarrado?

Se eu então deixá-lo dizer, ele poderá se estender sobre mim, de modo que me obrigue a me estender também?

Se eu deixá-lo apenas ser, ele continuará a construir os cômodos que, lentamente, vem levantando - numa paz que eu não sei ter?

Se eu entender que não sou eu que tenho que deixá-lo ser, mas que devo me deixar para que ele o seja em mim, irei eu ser capaz de entender?

Não importa o que você seja, texto, e não importa também o que eu digo - cansei de me ouvir; quero ouvir - ver - o que você tem a dizer - sobre seu ser - mesmo que o que eu diga se deite em seus lençóis, sua pesada coberta o esmaga logo em seguida - suas construções são soberanas às minhas; sempre que você chega, tenho rodízios sob meus pés - que me fazem andar mais rápido - ou, às vezes, colunas altivas que se estendem sob meu rosto, deixando-me um pouco mais alta que minha mesquinhez – você faz de mim escultura - e é normal que depois que você vai embora, eu caia imediatamente no chão. Após ver suas paredes, colunas ou rodízios, posso dizer o quão plástico você é - e o quão sem palavras você me torna por assim ser.

Produzir | v. t. | pro + ducere.

Pro: diante de;

Ducere: levar;

A partir do significado da palavra produzir, quero estabelecer: antes - ou depois - de ouvir o que você tem a dizer, quero estar diante da ação de ser levada a este dizer pelo seu próprio dizer, pelo braço que o soar da sua voz constrói - por cada cano colorido dentro do qual uma palavra engatinha - por cada orifício que elas abrem; ou à morada deste dizer tão silencioso - tão pequenino - tão calmante; à morada cuja entrada ainda me é proibida, ainda me é escondida - é errante e movediça - mais ainda que eu mesma - mesmo com toda persistência - eu simplesmente não sei aonde ela está.

×