Favicon 1cb4489fb8f184406263c976f23e6ccba48662de2a4c7065632fd05b7305879a
C pia de carla borba foto

Carla Borba

Porto Alegre/RS, 1978. Vive e trabalha em Vitória/ES.

É mestre em Artes Visuais pelo PPGAV – UFRGS e graduada em artes pela mesma instituição. Participou de encontros de performances e exposições na França, Alemanha e Brasil.          

A artista desenvolve seus trabalhos a partir de uma poética híbrida envolvendo performance, fotografia e vídeo, tendo como principal ferramenta de produção o corpo. Através das vivências registradas em seu corpo, a imagem se constitui como memória de experiências vividas em diferentes lugares e temporalidades. Dessa forma, os trabalhos apresentados  envolvem corpo feminino, imagem, tempo e espaço em um processo de acumulação e arquivamento, no qual o corpo registra e produz imagem a partir da performance.

Work carla borba salle de bains iii1
Work obra 2   cabeca terra exposicao
Work obra 3   etroc i
Work obra 7   cortes iii
Work obra 8   tachinhas 1 2

Vestido de Pedra

2002 - Recebeu a Bolsa Iberê Camargo com o Projeto Álbum de Família, o qual possibilitou sua residência na Cité Internationale des Arts em Paris.           

 

Formação acadêmica 

2015 - Especialista em Economia da Cultura pelo Departamento de Economia da UFRGS, Porto Alegre.

2012 - Mestre em Artes Visuais pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais do Instituto de Artes, UFRGS, Porto Alegre.

2003 - Graduada em Artes Plásticas / Escultura, UFRGS, Porto Alegre.

 

Experiência profissional

Universidade Federal do Espírito Santo

 

2015 - Professora substituta do Curso de Artes Visuais, bacharelado/licenciatura.

 

Centro Cultural Sesc Glória - ES

2015 - Elaboração e criação de Material Educativo e arte-educadora da Formação de Professores e mediadores da Equipe do Educativo do Sesc Glória.

 

Museu de Arte do Espírito Santo – MAES

2014 - Elaboração e criação de Material Educativo e arte-educadora da Formação de Professores e mediadores da Equipe do Educativo do museu.

 

Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul – Porto Alegre

2013 - Coordenação de Produção do Projeto Pedagógico da 9ª Bienal do Mercosul.

2013 - Coordenou a equipe de assistentes de produção do projeto “Conversas de Campo”, que fez parte do Programa Redes de Formação da 9ª Bienal.

2011 - Coordenação do Espaço Educativo – CASA M - da 8ª Bienal do Mercosul. 

2011 - Artista/Oficineira na ação pedagógica da 8ª Bienal do Mercosul. Realizou oficina de performance   com duração de 8h devido convite para participar do Projeto DUETOS.

2009 - Oficineira no Mapas Práticos do Projeto Pedagógica da 7° Bienal do Mercosul.                                              

2007 - Arte Educadora nos Encontros de Formação de Professores da 6° Bienal do Mercosul, oficina de arte contemporânea com duração de 5h realizada em 55 municípios do Rio Grande do Sul.                           

 

Projeto “Paisagens gravadas em nós” de Rafael Pagatini – Prêmio FUNARTE

2013 - Produção executiva de exposição de artes visuais, lançamento de livro e palestra do artista na cidade de Porto Alegre.

Programa Florescer – Instituto Elisabetha Randon – Caxias do Sul/RS

2012 - Elaboração e enquadramento do Projeto “Sou Sol Girassol – uma trajetória pela Arte” na Lei Rouanet, Ministério da Cultura.

2012 - Coordenação Geral do Projeto “Sou Sol Girassol – uma trajetória pela Arte”, que envolveu 500 alunos do ensino fundamental, professores e artistas na construção colaborativa de um espetáculo teatral.

2012 - Arte-educadora de atividades de arte contemporânea para turmas do fundamental durante o ano letivo, com carga horária de 8h semanais.

 

Serviço Social da Indústria – FIERGS – RS

2008/2009 - Analista Técnica na Área de Projetos de SESI.

2006/2008 - Promotora de Lazer do SESI.

 

Fundação Thiago de Moraes Gonzaga – Porto Alegre

2009/2010 - Consultoria em elaboração de projetos e convênios sociais e culturais.

 

Fórum de debates – Grupo UROBOROS, Universidade Saint Denis Paris 8, Paris/França    

 

2005 - Produção executiva do fórum “Preservação e Memória”, durante o ano cultural do Brasil na França.

 

Projeto “Amazonas, a vida sobre o rio.” Apoio da Prefeitura de Paris, Embaixada do Brasil na França e Governo do Estado de Amazonas.

2004/2005 - Elaboração e captação de recursos.

2004/2005 - Articulação de parcerias nacionais e internacionais.

2004/2005 - Produção Executiva das exposições fotográficas realizadas na França e Brasil.

 

Colégio Província de São Pedro – Porto Alegre

1999/2002 - Professora de Educação Artística do ensino médio com carga horária de 12h semanais.

 

Atelier de Arte do Colégio Província de São Pedro – Porto Alegre

1991/2001-  Coordenadora e oficineira do atelier de arte contemporânea.

 

Atelier do Centro Cultural 25 de Maio – Porto Alegre

2001/2002 - Coordenadora e oficineira do atelier de arte contemporânea.

 

Experiência internacional                                                            

Residiu, durante 4 anos, em Paris/França. Participou de residência artística, exposições e encontros de performances. Realizou a produção executiva de eventos brasileiros em Paris como exposições e encontros culturais. Mestrado incompleto na Université Saint Denis – Paris 8.

 

Performances

 

Performance 7 CABEÇAS

2015 - Programa De/generadas, Sesc Santana, São Paulo/SP.

2011 - Casa M – 8° Bienal de Artes Visuais do Mercosul, Porto Alegre.

2009 - Bar 512, Porto Alegre.                                                

2005 - Artcore 10: brésil écosophie, Galerie ArtCore,  Paris.

2003 - Rencontres Européennes Art Performances - Forum Social Europeen, Espace Les Blancs Manteaux, Paris. 

 

Performance Cabeça de Terra

2014 - Espetáculo Teatral VÃO, Teatro Santa Casa, Porto Alegre.

2012 - Memorial do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

2011 - Projetos Vecinos com Rodrigo John, Casa M – 8º Bienal de Artes Visuais do Mercosul, Porto Alegre.                                                                                  

Performance ETROC

2014 - Espetáculo Teatral VÃO, Teatro Santa Casa, Porto Alegre.

2010 -  Espetáculo VÃO, Sala Qorpo Santo, Porto Alegre.

2011 - Espetáculo VÃO, Sala Álvaro Moreyra, Porto Alegre.

 

2013 - Performance Olhos, Espaço LZ de Arte, Porto Alegre.

2011 - Performance Geocarnivora com Yanto Laitano, Casa M – 8º Bienal de Artes Visuais do Mercosul, Porto Alegre.

2010 - Performance Vestido de Pedra – parte I, Tortaria, Porto Alegre.

2005 - Performance Vestido de Luz, Art Parade: Coletivações/Collectifs’actions, Nuit Blanche, Paris.

2003 – Performance Vírus, Pinacoteca do Instituto de Artes, Porto Alegre.

2002 - Performance Rosita - 7º e 8º Congrès International Art Performances, Paris/Berlim.

 

Exposições individuais

2005 - Une Compagne de Voyage, projeto Social (Re)Mix, Galeria da Rue des Gardes, Paris.

2002 - Instalações, Galeria UNIVATES, Lajeado/RS.

 

Exposições coletivas

2014 - Projeto PRISMA, Atelier Subterranêa, Porto Alegre.

2014 - Da matéria sensível, Casa de Cultura Mario Quintana, Porto Alegre.

2014 - Independência: quem troca?, GAP-Galeria de Arte e Pesquisa da UFES, Vitória/ES.

2014 - Neblina: A fotografia no Acervo do MAC-RS, Galeria dos Arcos/Usina do Gasômetro, Porto Alegre.

2014 - Útero, Museu e Domesticidade: gerações do feminino na arte, MARGS - Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

2014 - Artistas da Galeria, Estúdio Galeria Mamute, Porto Alegre.

2013 - Curadoria de A-Z, Casa de Cultura Mario Quintana, Porto Alegre.

2012 Bazar de Arte, Casa Comum – núcleo de pesquisa, produção e compartilhamento de arte, Porto Alegre.

2012 - Leilão de Fotografia Contemporânea, Galeria Mascate, Porto Alegre.

2012 - Jacaré Bailô, Casa Comum – núcleo de pequisa, produção e compartilhamento de arte, Porto Alegre.

2011 - Vídeo PODA na seleção de vídeos de Paolo Santoscoy, Casa M - 8º Bienal de Artes Visuais do Mercosul, Porto Alegre.

2011 - Pequenos Formatos, Atelier Subterrânea, Porto Alegre.

2010 - Convivências – Dez Anos de Bolsa Iberê Camargo, Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre.

2010 - Terras Indígenas, Memorial dos Povos Indígenas, Brasília/DF.

2008 - Sablé, Centre Culturel Joel le Theule – Scène Conventionnée, França. 

2008 - Pôster-Book: Declaração Universal dos Direitos Humanos, Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social (SJDS), Porto Alegre.

2006 - Imagem Lúcida: Fotografia Contemporânea no acervo FVCB, Fundação Vera Chaves Barcellos, Viamão/RS.

2006 - Câmara Rasgada, Galeria dos Arcos, Gasômetro, Porto Alegre.

2006 - Salão Nacional de Arte de Goiás, Shopping Flamboyant, Goiânia/GO.

2005 - Instalação Objeto síntese: Puxa-Saco,  8 ° Rencontre d’art contemporain LO’ ART, St. Mathurien/France.

2005 - Preservação e Memórias Grupo Uroboros, Espaço TUCA, São Paulo/ SP e Espaço cultural do Sofitel São Paulo/SP.

2003 - Um território da Fotografia, Galeria dos Arcos/Usina do Gasômetro, Porto Alegre.

2002 - Mois de la Photo, Cité Internationale des Arts, Paris.

Pele como Minério
Bruna Fetter

 

Escutar o corpo, sentir o corpo, movimentar o corpo. Agir e sofrer as consequências da ação. Para Carla Borba todo trabalho nasce da sua relação íntima e pessoal com seu corpo. Um corpo feminino, de vestido vermelho, mas também um corpo de rocha, de terra. Um corpo que se fortalece e se descobre no contato com a natureza. Não um mero contato casual, mas sim uma substituição da própria cabeça, ou um acréscimo de pedras, tornando-as parte da sua estrutura primordial, somando peso à aparente fragilidade do salto alto.
Um corpo exposto (estando ele nu ou não). Porque para acessar a alma, camadas e camadas precisam ser compreendidas e cuidadosamente retiradas. Aqui caberia a compreensão da Arqueologia como uma metáfora para a Psicanálise. Porque esse corpo armazena não apenas a memória de Carla, mas uma memória ancestral da própria Terra, através dos seus sedimentos. Uma banheira cheia de carvão. Um corpo que submerge (ou emerge?) desse arquivo mineral para incorporá-lo à pele. Agora tudo isso pertence à Carla. Como ela mesma diz: “Sou um simples corpo que arquiva e sedimenta o devir”.
Da mesma forma que um minerador explora uma mina com o objetivo de encontrar fragmentos de valor e acaba desbravando todo um universo subterrâneo, foi na performance que a artista encontrou seu principal meio expressivo e as possibilidades de exploração do seu corpo como ferramenta. A partir dos registros desse seu percurso, temos acesso aos seus caminhos escuros, olhos vendados. Fotografias que servem como fóssil, marcando os rastros da ação.
E é na ação sobre fotografias antigas – repletas de história e memória pessoal – que pessoas são omitidas com a violência da tesoura ou esmagadas sob um plano de tachinhas. Ambos, tesoura ou tachinhas, elementos de uso escolar e banal, são ressignificados por Carla e adquirem aqui o papel do machado e da picareta.
Tamanho uso da força física é uma constante no trabalho da artista, que quebra com antagonismos pré-concebidos e mostra seu corpo de mulher numa relação de intimidade e equilíbrio com a natureza.

> Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Porto Alegre/RS.
> Fundação Vera Chaves Barcellos, Viamão/RS.
> MACRS, Porto Alegre.